Tradutor

quarta-feira, 8 de junho de 2016

BALNEÁRIO PEDAGÓGICO DE VIDAGO INAUGURADO DIA 10 DE JUNHO

INVESTIMENTO DE 3 MILHÕES DE EUROS REAFIRMA CHAVES COMO DESTINO TERMAL DE EXCELÊNCIA

O Balneário Pedagógico de Investigação e Desenvolvimento de Práticas Termais de Vidago, no concelho de Chaves, um investimento de cerca de três milhões de euros, vai ser inaugurado no próximo dia 10 de junho. O Secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, presidirá a cerimónia inaugural, com início agendado para as 11h00. Ontem, dia 6 de junho, o novo equipamento foi apresentado em conferência de imprensa.



Instalado na antiga estação ferroviária, o novo balneário termal da vila de Vigado será uma âncora para a região e uma aposta estratégica no setor do turismo.

Além de pretender tornar Chaves um destino termal de excelência em Portugal e na Península Ibérica, a construção deste novo equipamento em Vidago permitirá criar novos postos de trabalho, novos negócios, fixar população e dar um novo impulso a Trás-os-Montes.

Entre o balneário de Chaves (requalificado e renovado no ano passado) e o novo equipamento de Vidago haverá um aumento significativo da oferta termal no concelho, destacando-se igualmente a componente pedagógica deste novo equipamento incorporada no seu programa funcional.

A gestão do novo balneário de Vidago ficará a cargo da empresa municipal Gestão de Equipamentos do Município de Chaves, EM-SA, que gere as Termas de Chaves. Recorde-se que em 2012, a Câmara de Chaves e a UNICER assinaram um protocolo de cedência de águas minerais naturais gasocarbónicas, provenientes da nascente de Vidago, destinadas à exploração do novo balneário.



Implantado paralelamente à Estrada Nacional 2, este balneário é constituído por um conjunto de edifícios interligados, englobando a remodelação do edifício principal da antiga estação de Vidago e o hangar de mercadorias. Numa ala, serão desenvolvidas as práticas terapêuticas, onde estão localizados os vestiários, ginásio de reabilitação e fisiatria, compartimentos para massagens secas, compartimentos para tratamentos termais, banhos de hidromassagem e duches Vichy, duches de agulheta e duche circular. Na outra ala, estará a área de atendimento, setor clínico, gabinetes médicos e de enfermagem, auditório/sala de exposições e café/bar com uma pequena esplanada. No edifício principal da antiga estação, a única construção com dois pisos, estarão as zonas administrativas e de apoio pedagógico: a direção, serviços administrativos, salas de formação, arquivo e sala de bastidores/informática.

A obra foi financiada aproximadamente a 83% pelo ON.2 no âmbito do Eixo Prioritário II - Valorização Económica de recursos Específicos, Programa de Ação ECC_PROVERE-AQUANATUR).


Sem comentários:

Enviar um comentário