Tradutor

quarta-feira, 16 de março de 2016

Europa vs. Ásia-Pacífico em Vidago até sexta-feira

As quatro seleções continentais com todos os jogadores e capitães
© FILIPE GUERRA/FPG

Troféus Bonallack (homens) e Patsy Hankins (senhoras) para amadores começaram hoje


Os atentados terroristas de que a Turquia foi sido alvo desde o início do ano levaram a Associação Europeia de Golfe (EGA) e o R&A a desviarem para Portugal a realização da 9.ª edição do Michael Bonallack Trophy e da 1.ª edição do Patsy Hankins Trophy.

Trata-se de uma das mais importantes competições de match play do golfe mundial, disputada no mesmo sistema da Ryder Cup, mas colocando em confronto as seleções amadoras da Europa e da Ásia/Pacífico, em representação da EGA e da APGC (Confederação de Golfe da Ásia/Pacífico).

O 9.º Michael Bonallack Trophy e 1.º Patsy Hankins Trophy arrancaram hoje (quarta-feira), logo às 8h00 da manhã, no sumptuoso Vidago Palace Golf Course, rico da sua história que remonta a 1936.

“É normal que as pessoas valorizem mais o Bonallack Trophy, porque o Sir Michael Bonallack é uma grande figura do golfe mundial, foi um grande jogador, venceu cinco vezes o British Amateur e é um prazer tê-lo de novo em Portugal, pois já cá tinha estado quando organizámos a prova pela primeira vez em 2012, mas para a história o que vai ficar é que foi em Portugal que se disputou a primeira edição do Patsy Hankins Trophy. Daqui a uns 30 ou 50 anos continuará a falar-se disso”, sublinhou Manuel Agrellos, o presidente da Federação Portuguesa de Golfe.

Os dois torneios disputam-se no sistema da Ryder Cup, ou seja, em match play (eliminação direta), ao longo de três dias, com 5 duelos de pares nos dois primeiros dias e de singulares na última jornada, apresentando cada seleção 12 jogadores, 1 capitão (selecionador) e alguns vice-capitães.
Amanhã joga-se foursomes de manhã (pares, com pancadas alternadas) e à tarde em fourball (pares, com quatro bolas em jogo, cada equipa escolhe a sua melhor).

A liderança das equipas foi entregue aos seguintes capitães: a neo-zelandesa Libby Steele (formação feminina da Ásia/Pacífico), a inglesa Elaine Ratcliffe (feminina da Europa), o australiano Matt Cutler (masculina da Ásia/Pacífico) e o francês Alexis Godillot (masculina da Europa).

Os jogadores são grandes nomes do golfe amador mundial e basta dizer, por exemplo, que estão presentes os dois campeões da Europa da atualidade: a espanhola Maria Parra Luque e o italiano Stefano Mazzoli. Outro dado relevante é o facto de, no somatório das quatro equipas, haver sete jogadores do top-20 do ranking mundial amador: as espanholas Maria Parra Luque (3ª) e Luna Sobrón (7ª), os irlandeses Olivia Mehaffey (9.ª) e Jack Hume (12.º), os espanhóis Ivan Cantero Gutierrez (13.º), Mario Galiano (18.º) e a chinesa de Hong Kong Tiffany Chan (16.ª).

A Europa detém o troféu – nas oito edições anteriores só perdeu por duas vezes – e tem de ser encarada como a grande favorita em ambos os confrontos. A superioridade europeia no ranking mundial é esmagadora. Só há um top-20 asiático em 24 jogadores (Tiffany Chan)! E o melhor homem é o chinês de Taipé Chun-An Yu (43.º).

Mas em match play tudo é possível. E, atenção, no currículo dos jogadores vemos que o australiano Brett Colettta andou na luta pelo título do prestigiado US Amateur no ano passado e a coreana Hye-jin Choi (23.ª no ranking mundial) foi a campeã mundial de sub-18 em 2014. No setor feminino, o ranking é algo enganador porque as jogadoras asiáticas valem muito mais do que aparentam.

A cerimónia oficial de abertura dos torneios decorreu no final da tarde de ontem, no anfiteatro do moderno Centro de Congressos do Vidago Palace Hotel, com a presença, entre outros, do presidente da APGC (David Cherry); do ex-presidente da EGA, Colin Wood; o próprio Sir Michael Bonallack e os três filhos da falecida Patsy Hankins. 


Sem comentários:

Enviar um comentário